Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

  • Home  /
  • COLUNAS   /
  • [INTEGRANDO SAÚDE] Eliminando o ódio – prática para purificar corações

[INTEGRANDO SAÚDE] Eliminando o ódio – prática para purificar corações

| Por Gabriela Sencades Migge* |

Será possível amar alguém odioso? Alguém que só olha para si, que é cheio de ódio e raiva pelos os outros? Que destila venenos, ameaças e mentiras? Que pode provocar e, de fato, provoca, grandes sofrimentos às pessoas, animais e ao meio-ambiente? Será que é possível amar seres inescrupulosos e assassinos? Não só é possível como é nosso dever.

Mas, calma, explico. Não desista de mim agora!

Esse amor não tem nada a ver com subserviência ou passividade a esses seres, pois para todo ser que promove sofrimento deve haver uma ação rápida, paralisante e eficaz que permita a imediata extinção da sua ação maléfica.

Porém, às vezes, pensamos, erroneamente, que amar alguém é cegar para todos os seus defeitos e más ações. Definitivamente isso não é amor, mas cumplicidade, no sentido pejorativo, de ser conivente com as más ações, pois, se deixarmos alguém cometer ações negativas, que podem ser antiéticas e até criminosas, estamos permitindo que estas ações se ampliem e de disseminem. E, amar mesmo, amar de verdade, é agir com justiça, bom senso e coragem. Contudo, agir com justiça não é agir com raiva, medo e ódio. Pelo contrário, agir com justiça é um ato de amor e respeito à humanidade e a toda a vida.

Perceba que quem se alimenta de sombras, de ódios, medos, de histeria coletiva, de intolerância, mentiras etc. só ficará mais forte quando cultivamos sentimentos perturbadores dentro de nós. Portanto, é nosso dever nos liberarmos de tudo isso, seja por quem for, pois tais sentimentos só alimentam sombras, guerras e misérias.

Para transformar tudo isso e não ser mais servo das sombras, mas sim disseminadores da paz, da justiça, do bom senso e da fraternidade é necessário coragem, dedicação e ação. E isso quer dizer que precisamos, necessariamente e de forma diligente, olhar para as nossas emoções e pensamentos. E, uma vez havendo qualquer indício de perturbação, devemos nos propor uma transmutação.

Tal transmutação consiste em eliminar todas as nossas perturbações, transformando-as em cura para nós, nosso próximo e para o mundo. E o treinamento que vou oferecer para vocês aqui, na sequência, tem esse viés: o da transmutação compassiva.

Não é uma prática fácil e requer coragem e diligência. Mas, garanto com a experiência de praticante, quanto mais vocês fizerem, mais saudáveis seremos, mais luz irradiaremos e, aos poucos, vamos murchando, desnutrindo e exterminando ódios, raivas e injustiças.

Não existe contra-indicação ou qualquer malefício, seja para você ou para o outro, quando feito devidamente. Então, se você ama alguém, faça a prática para ele. Se você odeia alguém faça essa prática para ele. Se você sente indiferença, raiva, ciúmes de alguém faça essa prática para ele. Para quem quer que seja, faça a prática e observe o ódio definhar, como uma planta tóxica que não recebe água, vai murchando, secando, virando pó, adubando a terra, para que em um terreno mais propício, que iremos cultivar, o amor nascerá e se fortalecerá, pois vamos nutri-lo com nossa ação.

O nome desse treinamento que ofereço aqui se chama Tonglen. É um treinamento de origem budista para a prática da compaixão. Pesquisas no campo das neurociências¹ (Matthieu. 2108. p. 72) indicam que a prática da compaixão é a que produz mais ondes gamas no cérebro. Ou seja, tal prática produz frequências responsáveis por sensações de felicidade e plenitude. E, quanto mais longo o tempo que se pratica mais efeitos positivos se tem.

A expressão “longo tempo” entenda como prática rotineira, diligente. Está ligada ao tempo praticado por meses e anos e não em horas e minutos de uma prática irregular. Por isso, melhor fazê-la um pouco por dia, mas que seja todos os dias. Segundo estudos da cientista Barbara Fredrickson, fazê-las 30 minutos por dias são suficientes para surtir efeitos positivos em 6 a 8 semanas.²
Vamos à prática?

1. Escolha uma posição confortável, pode ser sentado em uma cadeira, no chão ou mesmo deitado. Porém, permita-se ficar em uma postura que além de relaxamento lhe proporcione sensação de equilíbrio e vigilância.
2. Atente-se primeiro à sua respiração, combinado com a sensação corporal que a respiração proporciona. Observe, sem controlar, o ar entrando e saindo pelo nariz, em seguida atente para a sensação corporal, sente seus ombros, rosto, pés. E, sinta-os relaxar a medida que observa a sua respiração.
3. Imagine agora que ao inspirar você se torna grande, como uma montanha, sendo capaz de ver seus problemas sob perspectiva, ou seja, você grande, lá em cima, observa seus problemas lá em baixo pequenos, minúsculos.
4. Agora, lá de cima, de sua observação, você percebe que há outro você só que pequeno, lá embaixo, rodeada por uma fumaça negra que são os seus problemas (preocupações, doenças, sentimentos negativos etc.)
5. Perceba agora que você gigante tem o poder de, ao inspirar profundamente, inalar toda a nuvem negra de fumaça que está ao redor de você pequeno e que dentro de você acontece uma transformação luminosa, capaz de transformar toda a nuvem negra inspirada em uma luz ou vapor d’água, que são aspirações positivas a serem expirados por você e que rodeará seu ser pequeno em luz e positividades.
6. Siga inspirando a nuvem negra e expirando luz (névoa branca, ou vapor d’água) até você se visualizar completamente envolto de positividades.
7. Visualize agora as pessoas próximas a você. Quem você gosta, quem você não gosta e siga o procedimento. Inspire a nuvem negra delas e expire a luz do amor, da empatia, da compaixão, até estarem todos envolvidos por esta luz.*
8. Neste momento, do alto de onde você está observando, visualize toda a sua cidade e todas as pessoas e seres que moram nela. Inspire a nuvem negra de toda sua cidade e exale positividade para toda ela. Faça isso até visualizar toda a cidade envolta de luz e positividade.
9. Faça o mesmo para nosso país. Leve quanto tempo achar necessário.
10. Visualize o nosso planeta e siga a prática.
11. Por fim, amplie toda sua visão e observe o Universo. Qualquer nuvem negra que você visualizar inspire e exale luz.
12. Termine consciente e feliz por toda esta aspiração positiva que espalhas por todo o Universo e por cultivar sua mente e corpo equilibrados você contribui para um mundo melhor.

Gratidão!

Obs.: *quando você chegar ao ponto 7 recomendo fazer essa prática não só paraaàqueles que estão ao seu redor, mas para as pessoas mais poderosas que você considera, principalmente as que você detesta.
Precisamos inundar de amor às pessoas mais poderosas do mundo, pois nas mãos destes são materializadas as piores ou melhores condições de vida em nosso planeta. Não se acanhem, façam a prática mentalizando altos cargos da sua região, do seu país e do mundo (direcione a pessoas, governos, organizações, empresas, etc.)
A cada prática vai ficando claro aqueles que se fortalecerão com esse amor e aqueles que sucumbirão por não estarem alinhados com as frequências do amor e da luz divina, por estarem dentro de um autocentramento adoecedor de si e de toda coletividade. Sim, eles perderão poder!

Bases científicas
Abaixo deixo algumas referências que citei acima do que já foi possível aos cientistas medir das pessoas que fazem o treinamento da compaixão. Tais pesquisas foram enfocadas no âmbito individual, ou seja, quais benefícios pessoas a prática da compaixão proporciona. Aguardo confiante o dia que se possa medir no âmbito coletivo a reverberação de grupos de praticantes da compaixão na sociedade!

¹ Ricard Mathieu, Cérebro e Meditação: diálogos entre o budismo e a neurociência,
Matthieu Ricard, Wolf Singer. São Paulo: Alaúde Editorial, 2018.

² Fredrickson,B. L.; M.A.; Coffey, K.A; e outros 
“Open Heart Build Lives: Positive Emotions, Induced Through Loving-kindness Meditation, Build Consequential Personal Resoulces.” Journal of Personality na Social Psychology, v. 95, n.5, p. 1045, 2008.

Outras Fontes:
 https://www.lucidaletra.com.br/blogs/news/alan-wallace-sobre-a-pratica-de-tonglen
 Meditação Tonglen
 http://www.budavirtual.com.br/conheca-o-tonglen-e-saiba-porque-precisamos-remar-contra-mare/

 

* Gabriela Sencades Migge é terapeuta integrativa, pós-graduanda em psicologia positiva, pela PUCRS e em neurociências pela FAVENE. É co-fundadora e gerente de marketing do Espaço Cuidar. Para mais informações acesse: https://espacocuidarrecife.wixsite.com/terapiasintegrativas

Leave a comment