Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

  • Home  /
  • COLUNAS   /
  • [VIAGES ALTAMENTE INSIGHT] Considera os teus amigos

[VIAGES ALTAMENTE INSIGHT] Considera os teus amigos

Ilustração: Germano Rabello

Por Germano Rabello* |

Tem um fluxo nos conectando. Tem pessoas que você vai encontrar nessa vida. O sorriso delas te ilumina. Junto com elas você consegue atravessar as armadilhas.

Mas tem outro fluxo nos dispersando. Um redemoinho, uma confusão. Um sistema construído mentalmente, criando separação e desconfiança.

George Harrison, dos Beatles, e o comediante Eric Idle, do Monty Python

Acabo de ver uma foto que mostra George Harrison (Beatles) e Eric Idle (Monty Python) juntos. Um amigo meu postou. Eles tão num sorriso tão aberto, tão delicioso, que eu passei alguns instantes chorando comovido.

Nessa semana, uma amiga viajou, foi morar em outro estado. Não sei quando volta. Eu reconheço nela tanta força e verdade. Tanta sabedoria. E ela faz tudo isso da forma dela; não vem pelo filtro da classe média. Penso em como tenho sorte de ter conhecido essa pessoa.

Nossas relações tão do nosso lado, tão dentro da gente. Chega a hora de reconhecer o quanto estamos cercados de pessoas especiais, o quanto a vida humana é preciosa: e é o começo de nos percebermos enquanto parte do todo.

Quando começa a considerar os fenômenos seriamente, dá pra perceber o afeto e o amor em cada gesto. E se na desconexão, aparecem a tristeza, o isolamento, há sempre um antídoto pra isso: a amizade sincera, o coração aberto.

De relações falsas, da falta de cuidado, o mundo tá cheio. Tu que já foi usado, sabe disso; ou talvez também já tenha usado e descartado alguém, movido por egoísmo. Mas aí você fortalece um modo diferente.

Percebe o quanto as outras pessoas são fundamentais na sua jornada, percebe também o quanto você pode irradiar. Começa a se ver fazendo parte do movimento de inspiração e expiração do universo. Você dá e recebe, a relação é verdadeira. É de troca. E pra muitos casos, a troca pode ser desigual (à primeira vista). Mas tu não estás mais interessado em recompensas imediatas. Já aprendeu a se doar um pouco.

Dessa doação brota o amor. E a gente segue aprendendo.

Eu não tenho palavras pra dizer o quanto me comove ter sido filho da minha mãe e do meu pai. Ter conhecido essas criaturas especiais que foram meus avós. Ser irmão do meu irmãozão. Primos e primas, tias e tios. Todos humanos, imperfeitos, com uma semente de verdade dentro.

O quanto é especial ser amigo dos meus amigos, tão diferentes entre si. O quanto me fortalece o carinho que eles têm por mim. Ter conhecido certas crianças, testemunhar seu crescimento. Ter sido envolvido em trabalhos bonitos de várias áreas, com pessoas muito dedicadas e com aquela seriedade boa. Tenho uma banda em que é permitido respirar, dar risada de si mesmo, se abrir para o momento, o Sabiá Sensível.

E vêm as relações de namoros,… Ampliando as possibilidades do que eu sou, do que tu és. Lei natural dos encontros: cada momento significativo em si mesmo e ao mesmo tempo construindo a ponte entre o futuro e o passado. Eterno presente.

Milagres cotidianos, que certamente estão na tua vida também. Precisam ser percebidos.

Quanto se sentir isolado, é barra, eu sei. Comece a enviar seus sinais de fumaça, mande um recado. Sintonizar. Talvez tenha alguém do outro lado precisando também receber uma mensagem. Tem gente que tá longe? No coração eles estão perto.

A solidão tem seu ensinamento, a presença dos amigos tem outro. À medida que você fortalece as conexões, as pessoas começam a aparecer, a se reconectar, proximidade física também. Vai procurando os elos, as ligações, reforçando, deixando fluir com naturalidade, lembrando a si mesmo e aos outros. Expressando.

Nem estou dizendo que é fácil, com o individualismo e tantas barreiras artificialmente criadas. Eu mesmo me atrapalho muitas vezes. Mas também, será que é tão difícil assim?

Considera teus amigos. Bota eles na tua constelação, entende os contextos deles. O verbo “considerar” tem a ver com as estrelas e o universo. Observa.

E depois, como os três Reis Magos, vai levar teu presente e tua presença aos teus amigos.

Amo profundamente todos vocês. Ou estou tentando aprender. Seguimos juntos!

* Germano Rabello é músico/ compositor, poeta (não somos todos?), escritor, roteirista, ilustrador, faz HQs e zines, de vez em quando curtas. Nasceu do casamento de uma psicóloga e um historiador.Também conhecido como German Ra, integra a banda Sabiá Sensível e é formado em jornalismo. Vai por aí em busca das curtições e das emanações de sabedoria.
Contato: germanra@gmail.com

Leave a comment