Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

Eu tenho medo!

Por Mallika Fittipaldi*

O medo é um estado emocional que resulta da consciência da existência de uma ameaça real ou fantasiosa. Diante do medo incontrolável e da ausência da coragem ficamos paralisados, nos entupimos de apreensão e receio. Não caminhamos, não resolvemos problemas, não enfrentamos as dificuldades. Enchemo-nos de fobias, pavor e nos aterrorizamos.

O medo é a antítese do amor. Posso dizer que é o pai de muitos sentimentos e pensamentos negativos que dilaceram nossa alma, nossos sonhos, nossa vida. Paramos diante do medo de dar o próximo passo e assim perdemos muitas e muitas oportunidades de sermos felizes na vida.

Nos primórdios da humanidade o medo era um fator de alta relevância para nossa sobrevivência perante a natureza desconhecida. Os nossos instintos guiava-nos nos proporcionado amparo contra tudo aquilo que incógnito pudesse nos agredir ou aniquilar. Com o desenvolvimento humano nos mais variados campos da vida (arte, ciências, religião, etc.), o medo também se modificou e em geral se tornou algo mais sutil, desde que não haja um desequilíbrio mental ou emocional.

Através do medo fomos educados na infância a não subir em árvores para não cair, a não falar com estranhos, a atravessar ruas com muito cuidado, a não confiar nas pessoas, a não ser bom demais para não ser transformado em vítima dos mais ‘espertos’ e assim por diante. Fomos criados a sombra do medo, tendo-o como modelo para sobreviver a este mundo cão em que vivemos.

Ao nos tornar adultos os nossos diabinhos do medo não se desintegram, eles apenas se escondem dentro da nossa psique. E nossas almas os carregam consigo. E em algum lugar, frente a alguma situação, esses diabinhos se libertam das correntes que os prendiam e invadem sem culpa a nossa vida. Daí surgem muitos e muitos problemas como os de convivência, pelo medo de ser enganado e usado, no casamento pelo medo de ser traído, na rua pelo medo de ser assaltado ou machucado e até o medo de sentir medo. Esse medo, quer seja real, quer seja imaginário, entranhado no nosso mundo interior, resvala para o nosso cotidiano nos tornando seres frágeis, pusilânimes, covardes, detendo nosso crescimento material, emocional e espiritual.

Mas podemos trabalhar o medo. Através da prática de RRP (Relaxamento e Reprogramação Positiva) criar formas de enfrentá-los com tranquilidade. Podemos desaprender o medo que nos foi impresso quando criança na medida em que percebemos que ele já não tem sentido. Podemos usar exercícios de fé e energia para desbloquear nossas emoções reprimidas e romper os elos do medo.

Sejamos felizes!
Mallika (Conceição Fittipaldi)

Mallika Fittipaldi – Trabalha com Florais de Bach, Hipnoterapia Clínica, Psicoterapia Holística, Regressão, Relaxamento e Reprogramação Positiva.
Contato: 99621.2409 (Whatsapp)

Related Articles

Leave a comment