Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

  • Home  /
  • COLUNAS   / Chamo Estrela   /
  • [CHAMO ESTRELA] Saturno retrógrado – reflexões sobre a areia da ampulheta

[CHAMO ESTRELA] Saturno retrógrado – reflexões sobre a areia da ampulheta

Imagem de <a href="https://pixabay.com/pt/users/denizecenci-6137739/?utm_source=link-attribution&amp;utm_medium=referral&amp;utm_campaign=image&amp;utm_content=2785094">denizecenci</a> por <a href="https://pixabay.com/pt/?utm_source=link-attribution&amp;utm_medium=referral&amp;utm_campaign=image&amp;utm_content=2785094">Pixabay</a>
Imagem de denizecenci por Pixabay

Por Ana Ghandra* |

“Compositor de destinos, tambor de todos os ritmos.
Tempo, tempo, tempo, tempo…” (Caetano Veloso)

 

Saturno, o planeta que na Astrologia Tropical associamos a Chronos (o Senhor do Tempo na Mitologia Grega), iniciou seu movimento retrógrado, desde o último 4 de junho e até outubro estaremos refletindo sobre as lições apresentadas por este planeta tão importante.

Saturno representa as estruturas, aquilo que dura e se mantém ao longo dos anos. É o último planeta visto a olho nu, por isso sua conexão com limites e muralhas, aquilo que cria obstáculo e exige de nós paciência, dedicação e resiliência para materializarmos nossos sonhos em bases sólidas.

Sob esta perspectiva, Saturno é o professor exigente, que nos testa de maneira implacável e assim avalia o quanto aprendemos das lições que nos foram apresentadas. Caso tenhamos sido alunos disciplinados, Saturno nos oferece chão firme e seguro para crescermos, fomentando maturidade e respeito à nossa caminhada.

No entanto, se fugimos de suas obrigações, sem lhe dar a devida atenção, ele pode ser duro e ferrenho algoz de nossas falhas – o Senhor do Karma, na Astrologia Védica. Sua fatura por vezes demora para chegar, porém nunca é esquecida e, quando se anuncia, pode desestabilizar qualquer estrutura forjada de forma irresponsável.

Saturno abriu sua trajetória pelo signo de Aquário (um de seus domicílios) em dezembro de 2020. Naquele momento, Júpiter também estava em Aquário e esta conjunção marcou o início de uma temporada de 20 anos, em signos de Ar, até a próxima conjunção de Saturno e Júpiter.

Aquário é o signo do coletivo, representando a humanidade, o povo (em oposição a Leão, que representa o Rei, o eu). É o signo de olhar pro futuro, do visionário, daquele que enxerga para além e por isso tem conexão com internet, eletricidade e também com todo tipo de sistema (como, por exemplo, nossos cérebro), que interage e constrói pontes, unindo paradigmas, visões, inteligências, ideias.

Com Saturno transitando em Aquário, temos vivenciado desafios (Saturno) nas áreas correspondentes a este signo (como será o futuro, internet, coletivos, humanidade, formas de interações…), e também ansiedade (questões da mente humana, suas sinapses e formas de processar as informações), até questões sobre o ego e reconhecimento (Leão é oposto de Aquário, por isso o signo de Leão recebe bastante carga de Saturno no momento).

Agora, temos este planeta em seu movimento retrógrado, em que seremos avaliados internamente sobre o quanto avançamos ou não nas lições que Saturno nos apresentou nestes últimos seis meses.

Quem tem planetas em signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário) pode ter atravessado testes duros, que de alguma forma espreme o ego e exige mudanças (lembrando que os signos fixos são resolutos e não gostam de mudar).

De qualquer maneira, a forma de trabalho que Saturno apresenta é lenta e vai pouco a pouco nos mostrando onde erramos, o quê em nós permitiu o erro e onde precisamos melhorar.

Com Saturno o papo é reto, sem amenizar, nem fazer tipo, não dá pra ir no jeitinho, o trabalho é real, onde vale o que você faz e não o verbo ou intenção. Isso muitas vezes tira da gente a vitalidade ou a alegria (Leão) e nos coloca em modus sério e muitas vezes mais carrancudo – as sombras de Saturno são a rigidez, pessimismo, workaholic que gera burnout, mesquinharia, ideias baseadas em escassez e dificuldade de celebrar a vida.

Para ilustrar como Saturno nos testa, é aquela velha metáfora dos três porquinhos, onde quem quer fazer rápido pode até conseguir ,mas acaba percebendo lá na frente, a duras penas, que fazer de qualquer jeito pode trazer algo frágil e por isso sem duração.

Saturno nos ensina que há momentos da vida onde o demorado, aquilo que exigiu dedicação e disciplina, vem com base e estrutura suficiente para aguentar os balanços, uma vez que recebe do Senhor do Tempo, aquele que mensura o trajeto da existência terrena, a bênção de existir.

 

* Ana Ghandra é mineira, radicada na Chapada Diamantina. Há 20 anos estuda Astrologia e pratica a interpretação de mapas. Nos últimos anos tem dedicado sua pesquisa à fomentação de pontes entre a Astrologia, a contemporaneidade, a espiritualidade e a política.

* CONTATOS
E-mail: anaghandra@gmail.com
Instagram: @anaghandra

Leave a comment