Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

  • Home  /
  • ARTIGOS   /
  • [ARCANO DE ABRIL] A Morte – em abril, a transformação pessoal estará em alta

[ARCANO DE ABRIL] A Morte – em abril, a transformação pessoal estará em alta

Por Ronaldo Patrício* |

Dentro de um padrão da dualidade, em que o inconsciente coletivo julga o que determina se uma coisa é boa ou má, existem arcanos maiores do tarot que são temidos por algumas pessoas. A Morte é um desses exemplos. Na verdade, precisamos lembrar que os trunfos do tarot apenas mostram facetas de nós mesmos. Sendo assim, nada a temer!

Durante os 30 dias do mês de abril, o arcano 13 – A Morte estará presente para nos lembrar que ela é inevitável. Essa frase dramática serve também para dizer que no que diz respeito ao tarot, esse arcano não está ligado à morte física no sentido literal. Mesmo que seja a única certeza que temos ao nascer, a nossa finitude é certa, não é mesmo?

Antes de começarmos a falar sobre o valor do arcano 13 para este mês, importante lembrar que existe uma energia do trunfo 2 – A Sacerdotisa, que nos acompanha durante todo o ano de 2018. É ela que nos convida a olharmos com atenção quais são as nossas crenças limitantes para que possamos iluminá-las, agradecer e dispensá-las na luz maior do Criador/Criadora.

Para a Mãe Existência e o Pai Universo, não faz sentido acumularmos e cristalizarmos hábitos, vícios, pontos de vista e padrões de comportamentos ultrapassados, para quê? Para não conseguirmos expandir? Para permanecermos no mesmo lugar de sempre, caminhando em círculos? Tudo bem que você escolha esse lugar, mas corre o risco de ficar cada dia mais isolado de tudo e de todos, pois quem irá lhe suportar?

Hoje, existem várias leituras e terapias holísticas que tratam de diversas crenças e padrões limitantes. Algumas delas afirmam que desde o ventre nós somos envolvidos pelas crenças de nossos pais e famílias. Outras, que podemos trazer de vidas passadas, que estão tão enraizadas que se tornam difíceis de serem removidas apenas no diálogo. Ainda, que é possível estarmos repetindo padrões de comportamentos que não são nossos. Como saber?

De uma maneira ou de outra, é claro que diante de tudo isso sobra pouco espaço para a manifestação da originalidade de nossa essência divina, fica até mais difícil sermos autênticos dessa maneira, concorda? Não, definitivamente, não somos educados para expandir toda nossa potencialidade, com a ousadia pela qual nos inspira o arcano 8 – A Força. Ao contrário, é importante que sejamos cordeirinhos para sermos facilmente conduzidos ao grande rebanho. Aqui, lembramos de alguma uma canção do compositor e cantor Zé Ramalho?

Só existe a vida!

O arcano 13 – A Morte nos convida à renovação. Apesar de seu nome suscitar tanto medo, pouco há de ausência em sua manifestação, pois a vida pulsa, em todos os sentidos. Vejamos o exemplo da lagarta que rasteja, depois passa um período inerte em seu casulo até se tornar uma borboleta e sair por aí, de flor em flor. Houve períodos de pura transformação, sem necessariamente ela sumir simplesmente.

Sem a presença da morte em nossas vidas, estaremos fadados à previsibilidade e seguimos apenas ao sabor do vento e das circunstâncias, sem nenhum tipo de provocação, nem sobressaltos internos, uma tremenda apatia. Seria o mesmo que viver mil anos a dez. Portanto, estamos diante de um paradoxo: morrer para viver!

Se é verdade que nossas células morrem e se refazem diariamente, até neste exato momento em que você parou para ler este artigo, vamos então exercitar novos hábitos e maneiras de pensar e agir. No início, talvez não seja um exercício simples, porque criamos costumes que nem mesmo temos consciência de sua existência em nós. Mas é importante, ao menos, realizá-los como treinamento.

Podemos elencar aqui alguns exemplos, mas, se você parar um pouco e se observar, saberá, exatamente, o que necessita mudar em sua vida. Se não sabe, perceba ao menos o sinal de alerta.

Se o hábito é que faz o monge, de que estamos falando mesmo? Seja de roupa ou de comportamento, não importa, sejamos imprevisíveis, pois morrermos é sairmos de nossa zona de conforto, realizarmos uma verdadeira entrega ao presente, ao hoje!

Investir energia e tempo no que nos expande a consciência, nos renova as esperanças e nos faz crescer como seres humanos. Eis o real convite do arcano 13 – A Morte! A vida nova é agora!

* Ronaldo Patrício é tarólogo, terapeuta quântico e jornalista.
 Atende pelo telefone (81) 9.9503.6966 e pelo e-mail: serpresentecontato@gmail.com

Leave a comment