Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

  • Home  /
  • ARTIGOS   /
  • [ARTIGOS] ‘Por que não agradecer a tudo o que está acontecendo aqui na Itália e no mundo?’

[ARTIGOS] ‘Por que não agradecer a tudo o que está acontecendo aqui na Itália e no mundo?’

Ilustração: Moa Lago

| Por Zaza Macurana |

Gratidão por que? Tá tudo mal!!! A Itália está em pânico com o CORONA VÍRUS! Como assim gratidão? Gratidão sim! Afinal a gente colhe o que planta né? Se plantamos o mal, que mal há em colher o mal? Gratidão né? Pelo menos a árvore frutificou. Não é a fruta como objetivo o que importa? Ou é o percurso até o objetivo? O homem tá longe de ver o percurso da vida como o próprio objetivo em si né? Pois bem. O objetivo não deve ser colher, mas plantar, regar, cuidar e adorar a planta, como se fazer isso já fosse colher os frutos.

Por que não agradecer a tudo o que tá acontecendo aqui na Itália e no mundo? Assim finalmente o mundo está olhando pro próprio mundo. Nunca se olhou pro mundo como um todo como agora! As pessoas estão tomando consciência de que o mundinho individual não serve mais e que é hora de olhar pro Globo. Estão se dando conta de que a fome e a guerra que existem em outros países é responsabilidade de todos, que um vírus que nasce aqui pode afetar lá e que um plástico que consomem lá vem parar na boca do peixe que se come aqui. E vice- versa.

A Itália sempre disse aos africanos refugiados: “volta pro teu país!” Para homens, mulheres grávidas, crianças, velhos… todos refugiados que chegam aqui muitas vezes órfãos. Mulheres parem filhos durante naufrágios super lotados. Pessoas morrem sufocadas, amontoadas umas nas outras nos barcos para fugirem da guerra que a própria Europa faz lá na África por causa de ouro. O europeu adora ouro. Mas odeia negro? O fruto da terra do ouro? Pouco faz a Itália permitiu que um barco com mais de mil refugiados afundasse no mar dela, proibindo e ameaçando de prisão quem tentasse ajudar esses seres humanos. E as pessoas aqui nas ruas eram simplesmente de acordo! Então “aqui se faz, aqui se paga”, não era esse o ditado?

Agora são os italianos que ninguém quer acolher por causa do corona vírus.

É hora de entendermos que o mundo gira, meu povo! A água do rio que deságua no mar cheia de nutrientes do percurso, entra no subsolo do planeta e lá corre em veias de sangue e vida de volta ao topo das montanhas de onde volta a descer como rio trazendo todos os nutrientes do mar de volta. A terra é um ser vivo! Tudo tem volta! E o objetivo dessa água é chegar no mar? Também. Mas antes é outro. É nutrir os seres por onde ela passa; é o percurso; é o agora; o hoje! E é hora de agir, de olhar o planeta como um organismo único e não separado em continentes!

Sim. A Itália está em alerta sim, as pessoas estão esvaziando as prateleiras dos supermercados para estocarem comida em casa por causa da quarentena, estão esvaziando as farmácias em busca de luvas e máscaras. Bela sacada econômica né? Não se é mais permitido entrar em um estabelecimento comercial mais do que duas pessoas ao mesmo tempo, as outras ficam fora conversando a pelo menos 3 metros de distância.

Os governantes adoram? Claro. As multinacionais adoram? Claro! Pois é tudo um jogo sórdido daqueles a quem nós mesmos delegamos a responsabilidade das nossas próprias vidas. Parabéns para nós e a nossa covardia em não sermos auto-responsáveis. Por que existe sim alerta! Existem sim milhares de pessoas contaminadas pelo corona.

Mas o problema concreto é 1% de todo esse caos estabelecido. Por que os mortos são poucos. E esses poucos são idosos de 80/90 anos, ou pessoas que já tinham problemas graves de saúde, ou doenças em estado terminal.

São 2, 3, sei lá, 4 mortos a cada a cada 1000 contaminados. Quem está bem não corre tanto risco como se divulga! O corona é um vírus fraco, pouco resistente, segundo os cientistas, os cientistas de bem né? A única diferença é que o corona se propaga rápido, principalmente no frio. E a Itália está no auge do inverno. E a Itália é cheia de idosos pra lá de 90 anos. Então isso só ajuda as mídias a inflamarem mais o medo. Basta tomarmos algumas medidas, pois o corona não resiste a um monte de coisas.

O resto é drama, tragédia, histeria, sensacionalismo pra alimentar uma máquina perversa que teima em conspirar contra nós e a favor da própria “vitória”! Vitória? Oi!!! Um tirano que escraviza seu povo é o próprio escravo de si. Ele precisa dos seus servos se não ele não próspera! Ele sim que precisa de ajuda e libertação, coitado! Então reconhecer quem ou o que nos serve é fundamental. E não fazemos isso com a natureza ao nosso redor não é mesmo? Estamos matando ela e na falta dela olhem aí: estamos morrendo também.

Mas pra quê todo este alarde se isso ainda não é nem o começo de um fim do mundo que tanto se profetiza? É só uma gripezinha, um espirro! Mas a situação aqui é muito mais, mas muito mais mesmo, de desestabilidade emocional da população.

As pessoas estão em estado de choque, de pânico, uma histeria generalizada, falta de uma trouxa de roupa pra lavar, de uma enxada pra capinar. O medo foi implantado pela política, pelas redes sociais, pela mídia. As cidades estão desertas, as polícias nas ruas perguntando aos raros passantes por que eles não estão em casa de quarentena. As pessoas choram horrores em casa com medo de morrer. Claro né? Afinal Não estão vivendo a vida. Óbvio então! Aí quando a morte vem naquele voozinho rasante dela dizendo no seu auto-falante tipo Xuxa: “Oi galerinhaaaaa! Tô aqui só dando aquela passadinha pra ver quem tá prontooooo!” Aí todo baixinho borra as calças né? E finalmente se pergunta com profundidade: “será minha hora?” Tua hora? Tua hora, criança, é toda hora! Já faz tempo você começou a morrer! Foi mainha parir que teu cronômetro foi acionado! Corra, ser humano! Escape! Depressa! Vá viver! Corra! Mas tome consciência de cada passo da sua corrida por viver. Por que foi por causa desse corre-corre desenfreado, frenético e histérico, que nós esquecemos que chegar não é o objetivo dessa viagem, aí desatentos pisamos pedrinhas, florzinhas, formiginhas, mendigos, negros, mulheres, gays, pobres, ou seja: os di-fe-ren-tes! E chegamos onde chegamos!

Então, dessa vez, quando correr pra viver a segunda chance que a morte está te dando, procura fazer DI-FE-REN-TE! Entendesse? Por que respeito é bom e a natureza gosta! E diferença é o sobrenome dela! Não bóle com ela que onça não tem medo de vara curta! Só contempla! Só cuida! Respeita! Respira! Vive! Pra quando a morte chegar, você estar pronto sempre, e sempre satisfeito. Ela só leva quem já cumpriu o que deveria. E quem não deve não teme né? E ela te leva esteja tu satisfeito ou não, visse? Aproveita que Deus não diz nunca que dia exato a gente morre! Aproveita! Por que Ele faz isso que é pra gente aprender a viver satisfeitos 24 horas. Pois a morte vai chegar a qualquer hora. E só existem dois tipos de pessoas que podem ser infectadas pelo corona: as com medo e as sem medo. Se ele tiver de vir virá. Só que essas pessoas vão responder de formas bem diferentes. A primeira vai desesperadamente acelerar a morte, a segunda vai estar calmamente tentando resolver, se não resolver, paciência gente! É a vida! morrerá resiliente, tranquila, fará uma Bella passagem. Que assim seja! Como diz um amigo: “se devemos morrer, que morramos com elegância!”

Viver o agora é o único objetivo a cumprir. Os outros pode ser que você cumpra ou não. Ou talvez serão tarefa das próximas gerações. Mas é um talvez, um grande talvez chato que só! Por que A única certeza que temos mesmo de que tarefa podemos realmente cumprir é a tarefa do viver o aqui e o agora e o agora… Só o agora nos pertence! Eu não estou nessa onda de estresse e medo do Corona. Estou bem aqui na Itália! Tá tudo bem! Tá tudo lindo, maravilhoso, o inverno mais quentinho que já vivi aqui. Com esse calor fora de hora as flores da primavera estão se antecipando, dando aquele toque majestoso que nem Van Gogh, pobre homem, sabe dar.

Entrar nessa onda de medo é ceder demais a esse jogo corrupto e sujo que uma corporação de gente grande e poderosa está fazendo com os homens. Existe um plano perverso por trás de tudo isso sim. Mas não desanimemos, nem fiquemos furiosos. Este plano perverso na verdade está pegando carona mesmo é num plano divino muito maior! O de dar um puxãozinho de orelha na humanidade! Sim! Para deixarmos de teimosia em não querermos ver o mundo como um todo.

Então no meio de todo esse caos vejo muita gente falar da dívida que temos perante a natureza! Olha aí que lindo? É Deus agindo o não é? Isso é lindooooooo! Nunca se falou tanto no mal que tem sido feito com mamãe Terra como neste exato momento! Todo mundo envergonhado, se dando conta que um mal nasceu na China e veio até aqui. E quantos males fazemos que vai desembocar em outro continente e cultura que desconhecemos, di-fe-ren-tes? É hora de se ajoelhar, beijar o chão que pisa, pedindo perdão por tudo que nós e nossos semelhantes fizemos contra nossa mãe! É pêia, meu velho! É pêia pro ser humano parar de maltratar quem lhe dá leite na teta, se não vai vir coisa muito pior por aí. Esse corona é só um avisozinho de leve! O tempo que as pessoas estão dando ao pânico deveriam simplesmente aproveitar que estão em quarentena com os parentes em casa para vive-los ao máximo antes que a vida acabe.

Tomando chazinhos e sopas juntos de duas em duas horas, cuidando da higiene da casa e do corpo e rindo, rindo muito, se reconectando com a família e Deus, rezando juntos pra que naquela porta a senhora morte não venha bater, mas que se vier, que ela nos leve felizes, e não pré-mutilados pelo nosso medo e histeria antecipados, como verduras pre-cozidas que compramos num supermercado pra facilitar nossa culinária. Vamo dar um trabalhinho pra “comadre morte” né, poxa? Ela não gosta das coisas fáceis.

Então no meio de tudo isso eu tô bem sim. E grato! É um dever estar bem! É a melhor forma que tenho para agradecer a natureza! Afinal, quem não deve não teme!

Leave a comment