Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

Solstício de Verão

Foto: Lu Rabelo
Foto: Luciana Carmen

[Da Redação Flores no Ar]

O Solstício é um acontecimento astronômico que ocorre duas vezes por ano, em dezembro e em junho, significando o início do Verão ou do Inverno. O solstício acontece devido aos fenômenos de rotação e translação do planeta Terra, pois graças a eles a luz solar é distribuída de forma desigual entre os dois hemisférios. Os momentos exatos dos solstícios, que também marcam as mudanças de estação, são obtidos por cálculos de astronomia.

No caso de nós, cá do Hemisfério Sul, no dia 21 de dezembro, quando o Sol entra no signo de Capricórnio, acontece o Solstício de Verão, significando que a duração do dia é a mais longa do ano (no Hemisfério Norte acontece neste dia o Solstício de Inverno, o que significa que a duração da noite é a mais longa do ano). É no Solstício de Verão que acontece o dia de maior claridade, simbolicamente trazendo uma forte energia de Luz, de Vida.

Diversas religiões consideram os dias de Solstício e Equinócio como sendo mágicos, uma vez que são em tais momentos que ocorrem as mudanças de estações. “Os solstícios marcam o momento em que a vibração terrestre é mais elevada”, declara a autora rosacruciana Corinne Heline.

Na Roda do Ano Celta (também conhecida como Roda do Ano Wicca), no dia 21 de dezembro, no Hemisfério Norte, quando acontece o Solstício de Inverno, é celebrado o Sabbat de Yule, tempos de introspecção e esperança. Já no Hemisfério Sul (para quem segue a Roda Sul), quando se inicia o Verão é comemorado o Sabbat de Litha, momento de fertilidade e crescimento.

Astrologicamente, de acordo com o astrólogo Haroldo Barros, durante a entrada do Sol em Capricórnio, “signo localizado no ponto mais alto do zodíaco e símbolo por excelência das elevações e montanhas, o Cosmos nos convida ao reconhecimento da plenitude e integralidade da Natureza (inclusive a Natureza humana), a mesma plenitude que traz, em seu bojo, a sonoridade primordial que expulsa as forças cegas que nos enchem de pânico. Mas que nós possamos, também, ter a humildade e a disposição para escalar as montanhas, tanto as da existência cotidiana como também aquelas que nos elevam a maiores realidades. E que possamos celebrar a estação do Verão com alegria e plenitude, mas que, sobretudo, essa plenitude esteja também presente em nossas almas”.

 

 

Leave a comment