Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

Um cordel sobre a Shantala

Foto: Anaíra Mahin
O autor do cordel massageando a filha Esmeralda. Foto: Luciana Melo
Por Rildo de Deus

Conheci uma massagem
Lendo o livro de um francês
Mas, eu só leio em português;
observando a imagem
Das fotos e da paisagem.
Dessa Arte milenar
Venho aqui poetizar
e deixar minha mensagem
Ficou n’alma a tatuagem
do profundo alongamento
Da conversa em pensamento
se espalhando na miragem
Massageie o seu filhinho
com essa Arte tão antiga
Mas não toque na barriga
sem cair o cordãozinho
Aguarde, só dê leitinho
esperando o mês passar
Depois que cicatrizar,
e soltar o umbiguinho
Dê o banho no baldinho
com a água quase quente
Pra sentir o que ele sente,
relaxar devagarinho
Você tem que usar a mão,
passo a passo compassado
Uma vez de cada lado,
e tem que sentar no chão
Na esteira ou papelão.
Pegue óleo vegetal
Respire em Tempo normal.
Encontre a meditação
De esticar massa de pão.
O neném na sua perna
Perceba a conversa interna
e sinta seu coração
Olhe os olhos do rebento;
o pedaço do universo
Que está ali tão perto;
buscando conhecimento
Direcione o movimento;
com a Arte da SHANTALA
E assim você se cala.
E só fala em pensamento
Seja fluido como o vento
e severa como o Sol
Alvorada ou arrebol;
profundo relaxamento
De manhã e a tardinha;
pode ser a qualquer hora
Mas se é o bebê que chora,
quer o peito da mãezinha
Sorria pra sua carinha,
faça como sempre faz
Alimente os ancestrais;
no corpo de sua filhinha
Depois a sonecazinha
pra sarar a nossa sede
Ponho criança na rede;
e volto para a cozinha
Para a sala ou o banheiro;
faça o que você quiser
Seja lá o que fizer
sinta o gosto pelo cheiro
Companheira, companheiro;
somos vida o tempo urge
O amor na Terra surge;
peito aberto corpo inteiro
Quem se acordar primeiro;
tem que reparar nos olhos
Esquentar aqueles óleos
com o fogo do isqueiro
Antes de o neném chorar;
você pega ele nos braços
Dá bom dia com abraço;
então vai massagear
Naquele mesmo lugar
que você tá todo dia
Pode pôr uma melodia;
um som pra conectar
Ouça o rouxinol cantar
Seja passagem por dentro
Se conecte ao Elemento
para o sangue espalhar
Os membros superiores,
você roda em parafuso
As pernas com pouco uso,
fortalece sem ter dores
As abelhas pelas flores;
bebê sonha o surreal
Passando por Juremal;
dança de dois lutadores
Arte plena, cantadores;
a tensão de uma viola
Vai fluindo como bola;
renascendo os condores.
Seu neném é o seu mestre;
tu praticas todo dia
Nunca use água fria,
mesmo estando no Nordeste
Roupas leves você veste;
e aprenda com a criança
Sinta um elo de aliança;
quando o Sol nasce no leste
E quando desce no oeste,
se conecte ao Sol
Com óleo de girassol;
pois é neutro, faça o teste.

[Texto publicado no Portal Flores no Ar em 2015]

Leave a comment