Fique por dentro das novidades do Flores no Ar!
  • Facebook
  • Twitter

Arquivos

Flores no Ar Logotipo do Portal Flores no Ar

  • Home  /
  • COLUNAS   /
  • [INTEGRANDO SAÚDE] Abundância e Prosperidade – como reconhecê-las na sua vida?

[INTEGRANDO SAÚDE] Abundância e Prosperidade – como reconhecê-las na sua vida?

| Por Gabriela Sencades MIgge* |

“Como se impede que uma gota de água jamais seque?”
(frase do filme samsara)

Para sermos ricos só precisamos mudar uma coisa: a nossa mente.

Penso que faz parte do imaginário coletivo a cena, que cada um de nós já se fez, de se ver cheio de dinheiro à sua volta, com uma cara de felicidade e conforto. Todo mundo já se imaginou ou se imagina rico, achando que a riqueza está muito distante de nós ou que para termos muito precisamos proteger nossos bens e estar sempre acumulando coisas… Porém, quanto mais se pensa em ter e acumular atitudes protetoras sobre nossos bens, menos estaremos satisfeitos e felizes.

Pelo contrário, sofremos pelo que achamos que temos, com sua conservação, proteção e constantes cuidados. Lavar, polir, segurar o carro por exemplo. Cercar bem nossa casa, eletrificar, gradear… guardar dinheiro no banco, no cofre, no colchão… enfim, atitudes tão paranoicas e protetivas que passamos mais tempo nos ocupando em como proteger e manter tais bens do que exatamente usufruí-los.
Não falo em desconsiderar totalmente essas coisas, pois existe um bom senso útil e sustentável em proteger nossos bens, mas a questão é: qual a medida entre precaução e neurose? Você sabe? Já refletiu um pouco sobre isso?

Acredito que quando sofremos mais do que usufruímos estamos invertendo o verdadeiro valor das coisas. Pomos nossa vida em segundo plano e nossas coisas em primeiro. Com essa medida de valor estaremos fadados à escravidão e ao sofrimento do materialismo.

Porém, para curarmos a doença da inversão de valores, considero que aproveitar mais a vida, olhar para ela como breve, abundante, rica e se desfazer de alguns bens inúteis já é um grande começo. Afinal energia parada é adoecedora.

Podemos começar assim: com uma boa faxina, o que não se usa cai fora, afinal precisamos abrir espaço para o novo. Podemos ainda mudar os móveis de lugar e inventarmos novas utilidades para antigos objetos. Cores novas, outros olhares, novas perspectivas. Uma boa faxina muda o externo e o interno. Traz espaço para fora e para dentro de nós. E isso é fundamental para que coloquemos novos projetos, sonhos, olhares e assim vibrar com a alegria e esperança do novo, da criatividade que flui e da abundância que enxergamos.

Outro ponto fundamental é perceber que o que temos já é suficiente. Temos tudo o que precisamos, não precisamos correr atrás de nada com esforço e cansaço. É preciso olhar com leveza e acima de tudo com gratidão aquilo já temos e conquistamos. Uma vez meu primeiro mestre em reiki, o Wlad, me perguntou: “o que te falta para ser feliz agora?” Bem, na época, eu não tinha emprego, morava com minha mãe, andava quilômetros a pé, pois não tinha dinheiro nem para a passagem, estava em um relacionamento complicado, mas mesmo assim, minha resposta foi: “nada” já tinha tudo que precisava, continuo tendo, sob outras circunstâncias mais favoráveis que no passado, continuo agradecendo e agora estou aqui para perguntar a você: O que te falta para ser feliz agora? O que te impede de ser feliz nesse exato momento? Acho que posso arriscar uma resposta: a gratidão.

Gratidão, aliás é o segredo fundamental para uma vida abundante e próspera. O ar que respiramos, a comida que comemos, a roupa que vestimos, utensílios que usamos, enfim, para que tudo isso chegasse a nós, uma cadeia de coisas e relações precisaram acontecer e exatamente tudo aconteceu para simplesmente possibilitar a nossa vida aqui e agora!

Gratidão à natureza, gratidão às arvores, aos mares, aos animais sacrificados, às pessoas que trabalharam, que cuidaram… Tudo, exatamente tudo, está interconectado a fim de garantir nossa vida nesse planeta, aqui neste exato momento. Agradecemos com alegria de sermos merecedores, de fazermos parte dessa teia grandiosa que é a vida.

Um homem muito rico pediu a Sengai para escrever algo pela continuidade da prosperidade de sua família, de modo que esta pudesse manter sua fortuna de geração a geração. Sengai pegou uma longa folha de papel de arroz e escreveu: “Pai morre, filho morre, neto morre.” O homem rico ficou indignado e ofendido. “Eu lhe pedi para escrever algo pela felicidade de minha família! Porque fizeste uma brincadeira destas?!?” “Não pretendi fazer brincadeiras,” explicou Sengai tranqüilamente. “Se antes de sua morte seu filho morrer, isto iria magoá-lo imensamente. Se seu neto se fosse antes de seu filho, tanto você quanto ele ficariam arrasados. Mas se sua família, de geração a geração, morrer na ordem que eu escrevi, isso seria o mais natural curso da Vida. Eu chamo a isso Verdadeira Riqueza.” (Verdadeira Riqueza – Koan zen Budista)

Nessa perspectiva, fica claro que não precisamos de nada, temos tudo o que precisamos exatamente agora. Entender isso nos faz naturalmente uma pessoa próspera, pois temos tudo, não importa se estamos em uma palafita ou em uma mansão. Quando entendemos que a satisfação e a alegria são aspectos internos e que tudo o mais gira à nossa volta como ornamentos para serem usados com sabedoria e responsabilidade conosco, com as pessoas e com o planeta, andamos pelo mundo com firmeza e confiança de que nada falta. Nosso chacra básico se desobstrui, pois não há medos do amanhã.

Por outro lado, quando temos a sensação de que falta sempre algo, que temos que ter mais e mais coisas, ou que precisamos adquirir aquela novidade do momento em 24x sem juros ou, pelo menos, até que a outra novidade venha e torne obsoleta a primeira que adquirimos e ainda estamos pagando, sempre estaremos vivendo na carência, na insatisfação e pobreza.

O chacra sexual se congestiona por conta do infinito desejo que sempre é frustrado a cada novidade do momento e o chacra básico é obstruído por estar cheio de medo e cansaço para continuar uma luta perdida contra o tempo que passa e não se aproveita.

Em contrapartida, quando agradecemos ao ar que respiramos, à casa que moramos, o prato de comida que comemos, não importa se é feijão com arroz ou caviar. Quando cultivamos gratidão, quando buscamos retribuir o que nos é dado, das coisas mais pequenas, às mais elaboradas, somos ricos, somos prósperos, abundantes e generosos.

Não pense que precisamos ter algo material para darmos e sermos generosos. A generosidade se dá com pequenos gestos de gratidão, quando praticamos preço justo ao invés de tirarmos vantagens com o menor preço sempre, dando um abraço sincero de agradecimento ou qualquer gesto de obrigado e reconhecimento de que tudo é sagrado e merecemos. Assim somos mais do que generosos, somos felizes, somos plenos.

Podemos começar a mudança com um exercício simples: todas as vezes que ficarmos insatisfeitos ou com aquela sensação de que algo está faltando, feche os olhos e agradeça. Agradeça pelo que você acha que pode agradecer, a comida, o ar, a cama que dormiu, o banho que tomou, pessoas que ama, àqueles que passaram por sua vida e lhe ensinaram algo, enfim, agradeça, agradeça, agradeça.

Comece pelas manhãs com uma lista de coisas para agradecer e aquilo que no decorrer do dia acontecer, agradeça, com o coração, pode ser apenas mentalmente, mas se quiser expressar é ótimo para quem recebe também. Agradeça sempre, não esqueça, por tudo que vem a você em forma de benefício, seja um conselho, um presente, um abraço, um serviço, um objeto, seu salário, sua comida.

Depois de agradecer decrete que aquele benefício retorne a quem lhe concedeu tal alegria multiplicadas vezes. Você pode decretar desse modo, ou do seu melhor modo: “gratidão, decreto que este benefício retorne a você multiplicada em infinitas vezes”.

Apenas teste, se quiser me relatar as mudanças vou adorar receber. Comente aqui, me escreva, enfim retorne. Benefícios sempre são multiplicados para qume os pratica e para quem os retorna. Assim é o Universo, Abundante e Infinito.

Gosto muito do Koan que aparece do filme Samsara: “Você sabe como uma gota d’água nunca secará?” a resposta é simples: Jogue-a no oceano. E é assim que se dá quando retornamos. Seremos sempre ricos quando deixamos de ser gota e nos tornamos oceano.

Bibliografia Sugerida
– Correia, Ana Karina de Sousa. Chakras, A Influência dos Chakras nos aspectos emocionais e fisiológicos do ser humano. Fortaleza: Fundação Edson Queiroz, 2007
– Samten, Padma. A Roda da Vida Como Caminho Para a Lucidez. São Paulo: Peirópolis, 2010
– Sui, Mestre Choa Kok, Ciência da Cura Prânica: Manual Prática Na Cura da Energia, São Paulo: Ebei Editora, 2015.

 

* Gabriela Sencades Migge é terapeuta holística, co-fundadora do Espaço Cuidar, mestra em reiki, frequenciadora de luz, aurículoterapeuta, terapeuta floral, terapeuta prânica, facilitadora em meditação. Acupunturista e Fitoterapeuta em formação. Atende no bairro das Graças em Recife-PE, Brasil.

Para marcar consultas:
Fone/ WhatsApp: (81) 9.9163.5351
Facebook: gabrielasencades
Atendimentos via Skype: Gabi Sencades
Espaço Cuidar: www.espacocuidarrecife.wixsite.com/terapiasintegrativas

1 Comments

Leave a comment